domingo, 6 de novembro de 2016

Leiria: pista húmida decide campeonatos e revela Cláudio Mota

Foto de família (autoria: Paulo Ribeiro)
Na prova de encerramento da temporada 2016 do TPC, a pista de Leiria apresentou-se em condições a fazer lembrar o GP de 2012, mas com menos água: pista húmida do princípio ao fim, secando progressivamente até existirem apenas pequenas poças no final da corrida - e sem qualquer chuva, pois o aguaceiro já tinha passado 1 hora antes. A prova foi vencida por Mário Alemão, que com isso venceu o campeonato de Pilotos, embora em igualdade pontual com o 2º classificado, algo inédito no TPC. Já no campeonato de equipas, a Acceleron Motorsport não capitalizou a ausência da Vírus Kart, que conseguiu assim o seu 3º título de equipas. Parabéns aos campeões!

Cláudio Mota em destaque

sábado, 1 de outubro de 2016

Bombarral: Gaspar relança campeonato

Os 8 participantes da prova do KIRO, com 2 "mascotes"
Quem diria, nesta época do Troféu Pedro Chaves dominada por Paulo Figueiredo, que ainda veríamos dois estreantes nas vitórias, em provas consecutivas? Depois da vitória de Pedro Caetano em Palmela, eis que Jorge Gaspar se impôs na sétima e penúltima corrida da temporada 2016 (a terceira disputada no KIRO) para obter a sua vitória de estreia. Vitória ainda mais relevante pelo facto de Gaspar aproveitar a ausência de Figueiredo para ficar a apenas um ponto, quando só falta uma prova para o término do campeonato! No segundo lugar, Luís Tereso igualou a sua melhor classificação de sempre, ficando a menos de 1 segundo da vitória, depois de rodado junto a Gaspar ao longo de todas as 29 voltas.

Destaque ainda para Ricardo Maltinha, a grande figura da prova. O "rookie" continuou a sua escalada no TPC, liderando pela primeira vez uma prova, durante longas voltas. Sem conseguir segurar os seus mais experientes rivais, conseguiu não obstante um brilhante primeiro pódio, ainda na sua temporada de estreia.

Mais atrás, Pedro Caetano fez uma corrida relativamente solitária, longe do trio da frente mas também a uma distância segura do trio que lutou pelo 5º lugar. Aqui, Diogo Alves acabou por se superiorizar a Paulo Ribeiro e Reinold Vrielink, tendo o piloto holandês reclamado de um toque na traseira, na curva 1, por parte do histórico da Acceleron Motorsport, quando faltavam já poucas voltas para o final. Na sequência, Vrielink perdeu também o 6º para Alves e não mais conseguiu recuperar o 5º lugar.

No último posto ficou Mário Alemão. O campeão em título apontou um acelerador frequentemente preso como motivo principal para os seus problemas ao longo da corrida, sendo que não detectou a situação durante os treinos, por ter rodado isoladamente - e tendo ficado surpreendido por se qualificar no último lugar. Na corrida chegou a 5º, mas o problema acabou por atrasá-lo novamente, e a partir da décima volta limitou-se a um "modo de cruzeiro" para somar pontos que lhe permitam ainda ter uma palavra no campeonato.

Resultados finais da corrida.

Com a ausência de Paulo Figueiredo, o campeonato de Pilotos ficou totalmente relançado e espera-se um final de antologia em Leiria, no próximo dia 5 de Novembro!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Palmela: o 50º GP foi o melhor de sempre

O quinquagésimo Grande Prémio Pedro Chaves, disputado em Palmela, foi uma das corridas mais incertas e emocionantes de sempre, em termos de luta pela vitória. O grande vencedor foi Pedro Caetano, naquela que foi a sua primeira vitória. Porém, os 2º, 3º e 4º classificados terminaram a menos de 1 segundo de Caetano, o que diz bem da competitividade que reinou. Não haveria melhor forma de assinalar este "número redondo" dos 50 GP, demonstrando a vitalidade deste Troféu que acontece de forma ininterrupta desde 2007.

O pódio foi completado pelos candidatos ao título, Paulo Figueiredo e Mário Alemão, em 2º e 3º, respetivamente. Fernando Borges ficou a menos de 1 segundo da vitória... mas fora do pódio.

A corrida foi assim, pela perspectiva de Paulo Figueiredo:



Os treinos foram ainda mais impressionantes em termos de competitividade: nada menos que 13 pilotos qualificaram-se no mesmo segundo, com João Canteiro a conseguir ficar a menos de 1 segundo da "pole position"! Sem dúvida que isto só poderia resultar numa corrida muito equilibrada e animada.

A corrida ficou ainda marcada pela estreia de mais 2 pilotos, João Jale e Diana Lopes. O facto de serem estreantes penalizou-os, em termos de experiência, face ao restante plantel; porém, os seus tempos por volta demonstram que podem vir a evoluir muito rapidamente, principalmente se comparados com muitos outros estreantes que já passaram pelo TPC.

O melhor exemplo para os estreantes é Ricardo Maltinha, que voltou a conseguir ficar no Top-10 e deixou atrás de si 3 pilotos vencedores de GP: Bea Figueiredo, Paulo Ribeiro e Pedro Ferraz.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

2 Horas Sprint/Endurance TPC

Através do Facebook, já sabemos que a corrida de Palmela, o quinquagésimo Grande Prémio Pedro Chaves, foi uma das melhores e mais renhidas de sempre, com 13 pilotos dentro do mesmo segundo na qualificação e 4 pilotos dentro do mesmo segundo... na corrida. Em breve teremos aqui os resultados, os campeonatos atualizados, algumas estatísticas e até um pequeno artigo de opinião sobre a "Monza 1970" do TPC. Mas, por agora, outros valores mais altos se levantam.

2 Horas Sprint/Endurance TPC


Estão abertas as inscrições para as 2 Horas Sprint/Endurance TPC, a realizar no KIRO, Bombarral, no próximo dia 1 de Outubro, Sábado, às 14:00 horas. Pedimos a todos os pilotos que procedam às transferências do sinal para a prova, ATÉ DIA 23 DE SETEMBRO!

Formalizem JÁ a vossa inscrição enviando o sinal de €50,00 por transferência bancária para o IBAN a fornecer pela Organização e pedido para o email trofeupedrochaves@gmail.com .

As inscrições provisórias com o nome das equipas e o nome dos pilotos de cada equipa deverão ser enviadas para este endereço até 21 de Setembro. Deve ser indicado o nome de cada piloto participante e o nome do Chefe de Equipa. O pagamento é feito por equipa pelo Chefe de Equipa e não por cada piloto.

A prova terá 15 minutos de treinos e a duração de 2 horas e será disputada nos novos Birel-Honda 270. O preço por equipa será de € 108,00 + € 4,00 (€ 112,00 no total). As equipas poderão ter um mínimo de 2 pilotos e um máximo de 4 pilotos. Os turnos de condução são de 30 minutos, no máximo, por piloto, não consecutivos e com uma tolerância de + ou - 5 minutos na entrada em boxe. Reabastecimentos, a haver, contam como tempo de corrida.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Éder, a selecção e o TPC

Enquanto o país vive um ambiente de feriado, aqui no Troféu Pedro Chaves queremos destacar o papel de Éder na vitória do futebol.

Quando lançámos este troféu em 2007, decidimos homenagear o Pedro Matos Chaves porque ele simbolizava - relativamente à sua passagem pela Fórmula 1 - o espírito dos guerreiros que lutam sem recursos mas com paixão pelo desporto, isto é, o nosso próprio espírito. Ele era também o "underdog", aquele que ninguém esperaria que se viesse a evidenciar ou a vencer, mas que ainda assim não desistiria.
O Pedro Matos Chaves não venceu na Fórmula 1, mas foi um vencedor, à sua maneira. Ele continuou a demonstrar o seu talento a nível internacional e as vitórias no Campeonato Nacional de Ralis vieram fazer-lhe justiça.

É desta forma que nos sentimos representados pelo Éder. Sem desprimor para as outras modalidades, que conseguiram resultados incríveis este fim-de-semana; mas o certo é que Ana Dulce Félix, Jésica Augusto e Rui Costa já não são "underdogs". São atletas com provas dadas e que mereceriam muito mais do nosso reconhecimento. Da mesma forma, de Cristiano Ronaldo quase "exigimos" que apareça e resolva; afinal, ele é o melhor do mundo.

Do Éder, não esperávamos nada. Esperávamos que os defesas adversários chutassem contra ele e fosse auto-golo. Fizemos estas e outras piadas, muitas piadas, todos nós. Mas quando chegou o momento, o "underdog" acreditou, superou-se a si mesmo e venceu. Porque a vitória não é sempre dos melhores no ranking, nem dos que acabam por ser os melhores marcadores dos torneios; a vitória é mesmo dos que são melhores no campo, mesmo quando pouco se esperava deles.

Parabéns, Éder, e parabéns a todos!

terça-feira, 28 de junho de 2016

Paulo Figueiredo e Vírus Kart mais rápidos que a própria sombra



Paulo Figueiredo, da Vírus Kart, dominou de forma incontestada a corrida de Almeirim pulverizando os seus adversários e todos os recordes do Troféu Pedro Chaves. Com a sua quarta vitória na temporada - feito inédito no TPC - Figueiredo não só mantém, como reforça a liderança do TPC, a apenas duas provas do fim da época.



Treinos: quinze pilotos em 2 segundos!



A prova de Almeirim registou menos inscritos que a média, tendo comparecido o "núcleo duro" do TPC, com algumas ausências de renome e, o que é raro, sem nenhum estreante a debutar no troféu. O domínio do piloto da Vírus Kart começou logo com a obtenção da "pole position" em que liderou o grupo dos pilotos no segundo 57. Ao seu lado na grelha estava Pedro Caetano que continua a subir de forma de prova para prova e está em excelente forma. Na segunda linha da grelha Mário Alemão e Pedro Bragança espreitavam. Logo atrás, Bea Figueiredo e Luís Tereso lideravam o grupo do segundo 58. De destacar as excelentes prestações de Agostinho e Maltinha que se posicionaram à frente de muitos pilotos muito mais experientes.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Almeirim: Figueiredo faz hat-trick e destrói recordes

Figueiredo numa foto de 2013, ano em que chegou ao TPC.
À esquerda, um elemento da Organização do TPC.
O mundo da Fórmula 1 fez de conta que não viu 1994, assumiu 1995 como um bom espectáculo desportivo com muitos erros da Williams e passou o resto da década a perguntar-se como seria se Schumacher viesse a ter o melhor carro, como se não soubesse a resposta. Resposta essa que ocupou toda a primeira metade da década seguinte.

É mais ou menos isso que se passa com Paulo Figueiredo e o Troféu Pedro Chaves. Depois de 2013, temia-se que, eventualmente, Figueiredo conseguisse reunir todos os seus pontos fortes numa só temporada e reeditasse episódios de domínio, como os de Capela (2011) e Durão (2012). Além disso, dada a sua presença regular nos campeonatos, adivinhava-se também que os vários recordes começassem a cair para o seu lado.

Com a vitória em Almeirim, cuja crónica chegará em breve, Figueiredo assume sem "ex aequos" os recordes de pole positions (5) e voltas mais rápidas (7), de pódios (14) e de "hat tricks" (4), além de estender o recorde de vitórias para 9. Assume também o recorde "ex aequo" de partidas da primeira linha da grelha (junto com João Rodrigues), com 11.

Quanto ao campeonato, é a primeira vez que um piloto vence 4 provas na mesma temporada, assegurando desde já mais de 50% do total, quando ainda faltam 2 provas. Relativamente ao título, será necessário que os pontos fortes que Figueiredo reuniu até agora desapareçam e que ele some posições algures abaixo do 6.º ou 7.º lugares, para que um dos seus dois adversários mais directos (Jorge Gaspar e Mário Alemão) vença as duas provas que faltam e consiga ainda vencer o título. Não é impossível; basta pensar que, em 2014, Figueiredo ficou acima do 5.º lugar 1 só vez durante toda a temporada. Mas estamos em 2016, e é bem possível que o piloto da Vírus assegure o seu 1º título já na próxima prova, depois das férias, em Palmela.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Bombarral 2: Figueiredo vence pela 3ª vez, sob 'alerta laranja'

O 48º Grande Prémio Pedro Chaves foi ganho com tranquilidade por Paulo Figueiredo, que somou assim a sua terceira vitória este ano (segunda em piso molhado) e oitava da carreira. A corrida de Figueiredo foi muito similar às que Rosberg tem feito na F1 este ano: dominando tranquilamente, sem "massacrar", mas também sem dar qualquer indicação de estar sob pressão ou em risco de perder a vitória - enquanto atrás de si tudo acontece. Figueiredo é agora líder mais que isolado, com 11 pontos de vantagem sobre o 2º, Jorge Gaspar, que foi também 2º na corrida, obtendo o seu primeiro pódio, tal como Nuno Alves, 3º classificado.

Este foi provavelmente o Grande Prémio mais chuvoso de sempre do TPC, mais ainda que o GP da Batalha de 2010, quando houve alerta amarelo. Grande parte do país encontrava-se sob aviso de alerta laranja para o fim de Sábado e as primeiras horas de domingo. No dia seguinte, a comunicação social relatou que os distrito de Leiria, Lisboa e Setúbal concentraram 60% das ocorrências para as quais os Bombeiros foram chamados durante este fim de semana.

A chuva caiu no Bombarral durante praticamente todo o dia, variando apenas na intensidade. O fenómeno é raro no clima desta região, mais dado a aguaceiros ou a perídos de chuva menos prolongados. No centro da vila do Bombarral, a cerca de 2 km do kartódromo, um muro de suporte de uma estrada ruiu na madrugada seguinte (fotografias aqui.)

O circuito utilizado foi o "tradicional" 1-G sem chicane, ao contrário do "corkscrew" que se usou em Fevereiro.

Pole Position para Pedro Ferraz

sábado, 2 de abril de 2016

Leiria 1: Figueiredo assume recorde de vitórias

Foto de família
Na terceira corrida de 2016, disputada em Leiria, Paulo Figueiredo assumiu sozinho o recorde de vitórias no Troféu Pedro Chaves, passando a ter 7 contra as 6 de João Rodrigues, depois de uma corrida onde muito cedo se assumiu como o previsível vencedor.

A previsão de chuva que foi sendo sucessivamente adiada ao longo do dia, iniciando-se os treinos com piso totalmente seco. Nelson Soares foi a estreia nesta temporada 2016, não se registando desta vez nenhuma estreia absoluta em termos de histórico do TPC. Foi utilizada a versão "B" tradicional, não tendo sido possível utilizar a D.

Na qualificação, alguns pilotos sofreram problemas relativos ao equilíbrio das suas máquinas. Um dos casos foi o do campeão e até hoje líder do campeonato, Mário Alemão, cuja troca de kart não surtiu efeitos, quedando-se apenas pelo 13º lugar, muito abaixo do que lhe tem sido habitual. Manuel Guerra surpreendeu a Vírus e conquistou a primeira pole position do seu palmarés

Na largada, não ocorreram incidentes de maior. Na frente, Paulo Figueiredo não demorou a assumir a liderança, enquanto mais atrás a Bea saltou do 8º para o 6º e rapidamente se desembaraçou do 5º, Reinold Vrielink, partindo em perseguição de Luís Tereso e Humberto Alves. No fundo do pelotão, Mário Alemão ganhava posições tentando contrariar o infortúnio que o atingiu.

Na primeira metade da corrida formaram-se os vários pelotões que se mantiveram sensivelmente até final. Na frente, Manuel Guerra não dava descanso a Paulo Figueiredo. Alguns segundos atrás, Luís Tereso e Humberto Alves eram perseguidos por Bea, que dava sinais de estar mais rápida e poder chegar ao 3º posto. Depois, Pedro Bragança liderava um comboio onde pontificavam Fernando Borges, Reinold Vrielink e Jorge Gaspar. Um pouco mais atrás verificava-se uma luta muito apertada com Paulo Ribeiro, Pedro Caetano e Diogo Alves. Mário Alemão, sofrendo de falta de potência, afundava-se na penúltima posição.

Manuel Guerra acabou por perder o contacto com o hepta-vencedor (temos que inventar títulos e sinónimos para não estarmos sempre a repetir a mesma coisa), enquanto Bea Figueiredo, depois de chegar ao 4º e cair para 5º, acabou por subir ao 3º posto a cerca de 10 voltas do fim. A partir desse instante, começou imediatamente a descolar dos seus dois rivais e demonstrou que só um incidente lhe tiraria o pódio.

A 6 minutos do final, a chuva começou a cair com um mínimo de intensidade; suficiente para tornar a pista húmida fora da trajectória, mas não para altera o curso dos acontecimentos. A Bea, que "rezara" para piso seco depois dos problemas no Bombarral, mostrou-se muito sólida na parte final e aumentou um pouco mais a distância para o 4º classificado.

Perto do final da prova, o empenho de Mário Alemão na luta com António Gaspar pela 14ª posição impediu de se aperceber que se preparava para ser dobrado por Paulo Figueiredo. Uma nota final desoladora para o campeão em título, que certamente esperava muito mais da máquina que lhe coubesse em sorte.

Na última volta, Humberto Alves fez um pião que acabou por atirá-lo para o 6º lugar, oferecendo o 5º a Fernando Borges, que foi o "vencedor" da luta no terceiro pelotão.

Logo que foi dada a bandeirada de xadrez, a chuva começou a cair com mais intensidade. Por 5 minutos, a história poderia ter sido diferente!...

Nos próximos dias teremos os vídeos, a publicação dos resultados completos (que serão colocados também no Facebook) e algumas curiosidades estatísticas. Como por exemplo o sucesso "extra" de Reinold Vrielink, na corrida desta tarde, para a estatística de classificações nos Dez Primeiros (Top-Ten).

quarta-feira, 30 de março de 2016

EUROINDY, Batalha: Alemão sem oposição



Mário Alemão foi o vencedor incontestado da segunda prova da temporada 2016 do Troféu Pedro Chaves. Com a pole-position, volta mais rápida e vitória na geral, o piloto da KXT deixou o segundo classificado a 10 segundos de distância, a maior diferença registada na Batalha em piso seco, apenas suplantada pela prestação do Campeão Rujorian, que deixou o segundo classificado, o Bi-Campeão João Rodrigues, a mais de 24 segundos de distância, em 2013. Diferença maior só Tiago Capela, numa prova de “motonáutica” disputada em pleno alerta laranja meteorológico no Inverno de 2009, 35 longos segundos!

Treinos: prenúncio da corrida

Com condições atmosféricas excelentes, numa tarde de sol e pouco fria, um grupo de 21 pilotos iniciou a sua sessão de treinos e, sem surpresa, os mais experientes e os especialistas no Euroindy ocuparam a primeira metade da grelha de partida. Dos mais experientes, apenas Vrielink, António Rodrigues e Ferraz não estiveram nos seus dias com diferenças entre 1,3 e 1,9 segundos para Alemão. Na primeira linha, Alemão e Tereso tinham logo atrás Humberto Alves e Jorge Gaspar, Manuel Guerra e Fernando Borges. Um sexteto muito, muito duro de roer.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Bombarral: na chuva, Figueiredo iguala recorde de vitórias

Foto de "família", cortesia Pedro Bragança
Paulo Figueiredo venceu a prova de abertura do Troféu Pedro Chaves, campeonato de karting amador, edição 2016, tal como o havia feito no ano transacto. A prova decorreu sob chuva intensa, porém o pódio e a luta pela vitória pareceu uma cópia da última prova, em Novembro e com piso seco, demonstrando que Figueiredo, Fernando Borges e Mário Alemão se encontram num grande momento de forma e são fortes candidatos ao título. Nem o facto de terem participado na TIT serve de "desculpa", pois a TIT decorreu em piso seco.

E de registar a afluência de novos pilotos estreantes e um ambiente de competição muito saudável, apesar das dificuldades causadas pela pista molhada.
Apesar das previsões de chuva, ainda não tinha chovido na região Centro-Oeste e os pilotos não estavam propriamente a contar com uma corrida em piso molhado. Contudo, nos instantes finais antes do arranque para os treinos, começaram a cair as primeiras gotas, ainda de forma suave. a ameaça de chuva para o resto do dia já era evidente.



Treinos de qualificação: duas voltas

Isto significou que a qualificação só durou duas voltas, pois a partir da terceira volta (após cerca de três minutos de chuva) a pista ficou demasiado encharcada para que alguém conseguisse melhorar os tempos. Fernando Borges foi o melhor a encontrar uma trajectória mais ou menos seca e juntou-se aos outros 6 pilotos que já detinham o recorde de pole positions: é verdade, há agora 7 pilotos ex aequo com 4 poles!
Entre o início e o fim dos breves 10 minutos de qualificação, os tempos por volta caíram mais de 15 segundos. Na prática, a partir da terceira volta, começou um verdadeiro warm-up ou sessão de treinos livres para a própria corrida.

Largada sem casos

Na primeira corrida do TPC em karts sem guard-rail, sob forte chuva, e com uma primeira curva tão complexa como é a do Bombarral, estavam reunidas as condições para uma grande confusão. Todavia, não houve qualquer choque ou pião nesta fase crítica da prova. Na verdade, houve apenas dois piões na curva nº 4, por parte de dois pilotos que abordaram a curva demasiado por dentro, na parte mais escorregadia.

Durante largas voltas, o trio seguiu compacto, cavando um largo fosso para o 4º lugar. A única diferença em relação à prova de Novembro, em Leiria, era a ausência de Humberto Alves - e o piso molhado. Sensivelmente a meio da prova, e subitamente, detectámos que Alemão tinha caído para terceiro e que Figueiredo  se aproximava do líder; já perto do fim da prova, era manifesto que o líder da Vírus se encontrava mais rápido e que a vitória não lhe escaparia.

A classificação ficou:





Recorde de vitórias igualado

Paulo Figueiredo igualou o recorde de vitórias que pertence a João Rodrigues desde 2009, contando ambos com 6 triunfos. Na post race flash interview, questionado sobre a candidatura ao título, Figueiredo relembrou que a sua ausência numa prova lhe vai retirar essa possibilidade. Contudo, recordamos que não é impossível vencer o TPC com uma prova a menos, pois foi isso mesmo que Tiago Capela conseguiu em 2011!

Ao longo dos próximo dias contamos ter outros reports e pontos de vista, bem como a tabela dos campeonatos. A próxima corrida é no Euroindy (Batalha), a 12 de Março!

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Karting: TPC 2016 prestes a arrancar!

TPC 2016 está quase a arrancar
O Troféu Pedro Chaves, campeonato de karting amador 270cc, começa já no próximo dia 6 de Fevereiro, no KIRO - kartódromo do Bombarral. Ainda as equipas de Fórmula 1 estarão a começar a lançar os seus carros e já o TPC estará em pista, para uma longa maratona que só terminará em Novembro, em Leiria. Para quem não conhece esta iniciativa, relembramos que se trata de um campeonato de corridas sprint, de 15 minutos de treinos + 30 minutos de corrida, em karts de aluguer de 270cc, com custos entre os 35€ e os 45€ por corrida, que percorre os kartódromos da região Centro-Oeste, entre Palmela e Leiria. Mais informações podem ser encontradas neste link.

Para quem já conhece, relembramos que se trata da 9ª edição de um Troféu de karting que começou em 2007-2008 e que a partir de 2009 passou a ter uma edição anual, como a Fórmula 1 e qualquer outra competição automóvel. Já fizemos 44 corridas e encontrámos 7 campeões, pois a competição é tão intensa que apenas um deles conseguiu tornar-se bicampeão. Junto com os mais experientes, continuamos a ser a melhor opção para quem quer experimentar o karting; já correram no TPC mais de 180 pilotos!

As duas corridas que iremos fazer no Bombarral representam um regresso a um espaço onde fizemos algumas das nossas melhores provas. Representa também a nossa vontade de experimentar os novos karts de chassis BIREL - um investimento recente do KIRO e que, diz quem experimentou, valem cada euro investido. Só não sabemos ainda se vai chover, mas o piso molhado no Bombarral também não é uma novidade para nós.

Juntamente com o campeonato de Pilotos, vai decorrer também o campeonato de Equipas, sem esquecer a prova de karting de Endurance prevista para Outubro. Ainda não tivemos inscrições de equipas ligadas - ou inspiradas - no Sporting CP, no SL Benfica ou no FC Porto, mas continuamos a prever uma luta renhida. Em todo o caso, os prognósticos para esta época ficam para daqui a alguns dias.

Como participar?

Para mais informações, não deixe de nos contactar para o e-mail trofeupedrochaves@gmail.com e de nos seguir no Facebook ou no Twitter. Também pode ver os nossos vídeos no Youtube!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

XLIV GP - entrevista com Pedro Caetano

Jorge Jesus, depois do Natal
Com quase um mês de atraso, e as devidas desculpas, publicamos finalmente a entrevista de Pedro Caetano. A imagem que publicamos não tem nada a ver com Pedro Caetano; é apenas um tópico de actualidade em função da sua resposta á penúltima pergunta desta entrevista.

Qual a sua opinião geral da corrida?
A corrida foi divertida. Tivemos nesta corrida a maior grelha da temporada (23). A presença de pilotos experientes que não participaram assiduamente no troféu deste ano, em conjunto com outros menos experientes veio aumentar bastante o interesse desta corrida.

Já tinha corrida na versão A de Leiria?
Não. Foi a segunda vez que corri em Leiria, e a primeira nesta versão.

O que achou da pista?
Gostei bastante. Foi interessante explorar principalmente a parte interior, que a diferencia do traçado normal, usado no ano passado. O gancho é que era esquisito...

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Não. Pensei nisso várias vezes, tentei duas ou três, mas não estava a resultar, por não estar a conseguir saídas limpas. Sei que houve várias pessoas a fazê-lo, mas no meu caso a combinação kart-piloto não era favorável.

Como reagiu à largada e à primeira volta?
Mais uma vez o arranque correu bem, mas a chegada à primeira curva não, desta vez por ficar sem espaço no interior da curva. Isto fez-me perder vários lugares que foram difíceis de recuperar para poder pensar em aproximar-me do grupo da frente.

Como comenta a sua classificação no campeonato?
Foi uma surpresa, ainda que tenha descido de 3º para 4º nesta última prova. O meu objectivo era melhorar, aproximar-me do top-5, mas não contava ficar tão à frente. Mas há que ter em conta que vários participantes bem classificados no ano passado não participaram este ano e houve participantes que não fizeram as provas todas.

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa
Sim. Acceleron Junior Team. Foi a classificação possível, este ano com o reforço do Agostinho, que foi compensando as minhas chamadas à Acceleron na ausência do Pedro Ferraz.

Quais são os seus objectivos para 2016?
Os objectivos são continuar a divertir-me, continuar a evolução técnica, aumentar a consistência. Resultados, não dependem só de mim.

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?
Tem demonstrado eficácia. Vamos ver após o Natal.

Há outro tema de que lhe apeteça falar?
Neste momento, não.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Humberto Alves

Manuel Guerra e Humberto Alves
Já estava na hora de vermos a perspectiva do vencedor da prova de Leiria, Humberto Alves!

Qual a sua opinião geral da corrida? Como reagiu à largada e à primeira volta?
Esta prova foi sem dúvida uma grande corrida, foi bom ver um número grande de pilotos à partida. Durante a qualificação consegui adaptar-me depressa a esta versão do circuito dos milagres e daí ter feito o 3º lugar para a grelha de partida. A partir daí foi sempre renhido desde o semáforo verde até à bandeira de xadrez. No arranque ganhei uma posição, acho que fiz um bom arranque mas também por estar na parte interior da pista tendo a melhor trajetória para a primeira curva. 
Tentei sempre acompanhar o primeiro classificado mas ao mesmo tempo sabia que tinha os outros pilotos "colados" a mim, passaram algumas voltas e consegui chegar ao primeiro lugar com um bocado de sorte e a partir daí fiz sempre a minha corrida e tentei não cometer qualquer erro porque sabia que tinha muita oposição logo atrás. 
Felizmente consegui manter a primeira posição até ao final mesmo tendo numa grande luta com Paulo na ultima reta da ultima volta, ficando muito satisfeito por ter conseguido vencer a corrida.

Já tinha corrida na versão A de Leiria? O que achou da pista? Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Para mim foi a primeira vez em que andei nesta versão A e gostei desta versão, é rápida em certos pontos e lenta noutros, sendo a curva 90R um dos pontos rápidos da pista. Pessoalmente eu preferia não dar a fundo a curva, cheguei a fazê-la a fundo e senti o kart a perder aderência, então preferi não dar a fundo e ter mais estabilidade para a travagem da curva seguinte. 

Como comenta a sua classificação no campeonato?
No campeonato deste ano consegui participar só em 3 provas, melhor só mesmo vencendo as 3 provas em que participei (o que ate não tinha sido impossível) mas as corridas são mesmo assim, têm sorte numas e azar em outras. Estou muito contente e até certa maneira surpreendido comigo mesmo porque nunca pensei que conseguisse estes resultados dada à grande experiencia e qualidade dos pilotos a participar no TPC, acho o trofeu muito competitivo e equilibrado.

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa? Quais são os seus objectivos para 2016?
Para 2016 certamente que voltarei a participar no TPC mas desta vez eu e o meu irmão Diogo Alves já estamos em conversações para formar uma equipa. Tal como tentei este ano, para o próximo gostaria de participar em mais provas.

Quero dar os parabéns ao organizador do troféu pelo excelente campeonato e que o TPC continue por muitos anos. Abraço a todos!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Mário Alemão

Agora é a vez do novo campeão Mário Alemão, nos dar a sua perspectiva! Inclui um relato precioso sobre a luta do pelotão da frente, composto por 4 líderes.

Qual a sua opinião geral da corrida?
A prova de Leiria é um icone para o TPC e terminar lá a temporada é sempre gratificante. Estava algo ansioso pelo começo da prova já que estava em 1º lugar do campeonato e teria que comprovar porque ocupava essa posição. Julgo ter obtido o 5º lugar na qualificação e tinha à minha frente/volta uma "tropa de elite". PFigueiredo, FBorges, HAlves, creio que IPaulino e RVrielink também. Todos eles conhecedores e experientes em qualquer variante de Leiria.

Arranque bom e um grupo da frente bem activo, e dou por mim a ver FBorges em 1º e eu numa posição que entregaria o campeonato. Este grupo da frente acabou por se desmembrar logo que se começou a dar voltas de avanço, e o FBorges sofreu com isso. Fui dando luta e aproveitando estas situações para chegar a 2º e mantendo grande parte da corrida PFigueiredo atrás, enquanto perseguia HAlves.

Eis senão quando, a poucas voltas do fim da prova uma aproximação de PFigueiredo que me proporciona um pião. Para evitar colisão, o FBorges ultrapassou-me e fiquei fora do pódio. Algo que poderia ter sido a cereja no topo do bolo. No final fica a memória de uma prova renhida, o título individual do TPC, o regresso do meu parceiro João Rodrigues nas últimas provas do TPC, e assim um final forte da equipa KXT, e por fim, o jantar de convivio bem preenchido. Venha 2016!

Já tinha corrida na versão A de Leiria?
Sim, alguns anos atrás.

O que achou da pista?
Uma variante bastante engraçada e considero-a a mais rápida.

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Não. Tinha que aliviar sempre um pouco mas sem nunca travar.

Como reagiu à largada e à primeira volta?
Largada sem falhas e primeira volta emocionante com grande empenho dos pilotos da frente. Sempre em fair play.

Como comenta a sua classificação no campeonato?
Terminando do posto mais alto, só poderia estar contente. Ainda que tenha noção que este título foi conseguido tendo em conta o azar do FBorges na prova de Fátima; da falha de presença de PFigueiredo na prova da Batalha; mas também pela minha regularidade ao mais alto nível sem nunca ter ganho uma prova (com 3 pódios, e 2 quase-pódios).

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa?
Na quase extinta KXT. Começou coxa com poucas perspectivas mas com o desenrolar do troféu acabou por terminou em força. Com mais uma prova e a concorrência poderia começar a fazer contas para ceder um lugar no pódio.

Quais são os seus objectivos para 2016?
Renovar o título individual mas desta vez sem as circunstâncias de terceiros;  e voltar a colocar a KXT no pódio de equipas.

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?
Enquanto treinador do Benfica, fantástico.

Há outro tema de que lhe apeteça falar?
Sim. Para o ano queremos Leitão para o jantar de convivio!

sábado, 19 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Agostinho Antunes

Agostinho Antunes foi um dos bravos que conseguiu terminar no top-20 do campeonato de Pilotos do Troféu Pedro Chaves 2015. Numa edição que contou com 40 participantes, não é uma proeza menor. Ficamos agora com a sua perspectiva da prova de Leiria.

Qual a sua opinião geral da corrida?
O facto de ter havido pessoas que se estrearam acrescentou uma dificuldade a prova. De facto era impossível de ultrapassar em recta e nas travagens a diferença de velocidade era tal que éramos obrigados a abrandar demasiado a fim de ultrapassar em toda a segurança.

Já tinha corrida na versão A de Leiria?
Nunca.

O que achou da pista?Pista muito rápida, com alguns ganchos "simpáticos" que eram desafiantes

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Havia uma curva a 90 graus? Ah!!! Aquela na qual fiz duas vezes inversão de marcha?

Como reagiu à largada e à primeira volta?
Estava demasiado cauteloso, e com tanta precaução perdi lugares na minha posição. Acabei de seguida por cometer um erro porque estava ansioso de apanhar os lugares em atraso.

Como comenta a sua classificação no campeonato?
Pois podia ter sido melhor se fosse mais constante nas corridas!

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa?

Boa! Os meus colegas de equipa conseguiram melhor posições... Baixei um pouco o nível da equipa :(

Quais são os seus objectivos para 2016?

Actualmente, os tempos que tenho feito, posicionam-me em média em 13º lugar na grelha. O meu objectivo é fazer parte do top 10.

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?

Talvez tenha um melhor futuro em karts?

Há outro tema de que lhe apeteça falar?

Um lanchezinho após cada corrida seria espectacular!
Umas meninas semi despidas na pista antes da partida também animaria e descontrairia a malta!

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Paulo Ribeiro

Fora do top-ten: Ribeiro atónito com resultado.
Paulo Ribeiro, 8º classificado no campeonato e fora do top-ten na última prova, em Leiria, partilha a sua experiência.

Qual a sua opinião geral da corrida?  
Foi uma corrida excelente! Bom tempo, grelha historicamente cheia, novos pilotos, pilotos menos frequentes, muitos veteranos, regressos de grandes nomes, um sucesso! A competição foi permanente, da primeira à última volta. O "fair-play" entre pilotos foi muito bom e não houve casos nem problemas mecânicos graves.

Já tinha corrida na versão A de Leiria?  
Creio que sim, há muitos anos, agora não me recordo. Todas as variantes de Leiria são muito interessantes, muito técnicas e exigentes.

O que achou da pista?  
Esta versão é muito interessante com os ganchosdifíceis e as curvas rápidas feitas a fundo. Nas rectas... enfim, os karts são 270 e já têm muitos anos em cima, faz-se o que se pode...

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo? 
Sim, por várias vezes. Mas tive que levantar o pé outras tantas por causa do tráfego ou para não tocar os karts à minha frente. Era o único sítio em que ganhava uns metros à Bea e perdia-os logo no gancho à direita...

Como reagiu à largada e à primeira volta?  
Eu, nas partidas, evito toques e, geralmente, perco logo uma posição ou mais... Esta não foi excepção. Mas lá me safei, ninguém me atirou para fora, já fico satisfeito.

Como comenta a sua classificação no campeonato?  
Com cada vez mais e melhor concorrência, torna-se difícil ficar no Top3 do TPC... Ficar no Top10 já é bom, terminar em 8º é excelente se compararmos a experiência e rodagem dos sete pilotos que ficaram à minha frente... Foi pena ter feito um resultado tão fraco nesta prova mas, de facto, não consegui fazer melhor...

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa? 
 A Acceleron Motorsport ficou muito satisfeita com a época e por terminar na 3ª posição do Troféu de Equipas. Tivemos uma prestação média, poderíamos ter feito melhor mas não nos foi possível. Teremos que trabalhar mais em 2016, ainda não perdemos a esperança de vencer o Troféu de Equipas do TPC!...

Quais são os seus objectivos para 2016?  
Em termos de prestação pessoal, gostaria de terminar no Top5 ou melhor e terminar uma ou duas vezes no pódio! Gostava que o Pedro Ferraz também fizesse um ou dois pódios e melhorasse a sua posição na geral. Quanto à Acceleron Junior Team, é uma equipa que está a prometer muito, era engraçado que a subida de forma do Agostinho, aliada à boa forma do Pedro, dessem um pódio no Troféu de Equipas e vários pódios ao longo da temporada!

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?  
Parece-me que está a resultar bem mas ainda não chegámos ao Natal. Falamos lá para a Páscoa...

 Há outro tema de que lhe apeteça falar? 
Gostaria de apelar a todas as equipas do TPC que apoiem as provas de sprint-endurance que o TPC está a tentar implementar. Seria importante aumentar o convívio com outros troféus para renovar o próprio TPC! Até 2016!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Taça Inter-Troféus 2016: TPC já inscreveu a sua equipa

O Troféu Pedro Chaves já encontrou a sua equipa para participar na Taça Inter-Troféus de karting 2016! Como habitualmente, constrangimentos diversos fizeram com que vários pilotos tivessem de declinar o convite (um deles tem o aniversário da sua filha no próprio dia da TIT). Em todo o caso, mais uma vez o TPC não falta à chamada. Eis a equipa que se vai apresentar no próximo dia 30 de Janeiro:




Mário Alemão
Fernando Borges
Paulo Figueiredo
Pedro Caetano
Manuel Guerra
Pedro Diogo São Bento


 

Como é sabido, a Taça Inter-Troféus vai apresentar-se pela primeira vez no KIRO - Kartódromo Internacional da Região Oeste, no Bombarral, tido como um dos melhores circuitos do país, pela suas incontáveis variantes, pela inclinação do terreno, pela diversidade de curvas e até mesmo pela meteorologia. Recorde-se que foi neste circuito - que, estando situado bem no centro da área geográfica do TPC, já foi visitado várias vezes - que os pilotos do TPC contaram com uma sessão de treinos de qualificação memorável e única. Durante apenas 15 minutos houve tempo para começar com piso seco, enfrentar pista molhada e terminar a sessão novamente com piso quase seco. Recorde-se também que Lewis Hamilton, tricampeão de Fórmula 1 (e campeão em título), faz parte da lista de pilotos que já passaram pelo kartódromo do Oeste.

Em todo o caso, ainda não se sabe qual a variante do circuito que será utilizada na TIT 2016. Será a 1G SC (que também foi utilizada no Campeonato Nacional de Karting, em Setembro passado), a variante corkscrew, ou outra?

Boa sorte, equipa!

domingo, 6 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Luís Tereso

Valentino Rossi
Qual a sua opinião geral da corrida?
A corrida foi num modo geral boa. Grelha com 23 karts e de pilotos rockies aqueles bem experientes, foi bom quer na competitividade como aquando nas dobragens aos mais lentos.

Já tinha corrida na versão A de Leiria?
Nunca tinha corrido na versão A.

O que achou da pista?Nesta versão fiquei com um misto de sentimentos. Gostei das curvas novas mas havia umas quantas que me causaram muita dificuldade para descobrir a melhor maneira das fazer. Ora o kart saia de frente, ora de traseira.

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Até aos últimos 10 minutos de prova fazia a fundo, depois disso tinha de levantar o pé para não derrapar de traseira.

Como reagiu à largada e à primeira volta?
A largada é a parte da corrida que me corre sempre bem, consigo ganhar sempre lugares e mais uma vez subi 3 lugares nas 2 primeiras voltas. Manter-me à frente dos melhores é que é outra história

Como comenta a sua classificação no campeonato?
Tirando o facto de faltar a uma prova, a classificação ficou em linha com a dos anos anteriores. Além de que esperava melhores resultados em algumas provas.

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa?
Equipa Boralá. Em 2014 com a ajuda do Francisco ganhamos por equipas. Este ano, com menos provas feitas por nós ficamos longe do objectivo de revalidar o título.

Quais são os seus objectivos para 2016?
Para 2016 o objectivo é ir a todas a provas, fazer o melhor possível e lutar pelo top5.

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?
Como simpatizante sportinguista, lá por ir em primeiro ainda não me convenceu.

Há outro tema de que lhe apeteça falar?
Políticos (nem todos) e terroristas desejo-lhes o céu... podiam ir amanhã que ontem já era tarde.

E um VIVA aos pilotos tugas que andam pelo mundo todo a dar show, a ganhar troféus e a dignificar o país.

Para mim o Rossi é o melhor piloto de sempre.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

XLIV GP - entrevista com Paulo Figueiredo

Qual a sua opinião geral da corrida?
Corrida muito "movimentada", onde a incerteza do desfecho foi uma certeza desde o inicio. Desde cedo... talvez pela terceira volta, com a primeira dobragem, percebi que com a salutar quantidade de "gente nova", o resultado final seria conhecido apenas na bandeira de xadrez... e foi o que realmente se verificou, pois na última passagem pela recta grande, ainda houve uma luta de posição pela vitória.

Já tinha corrida na versão A de Leiria?
com mais de 15 anos de karting amador com provas regulares, a pergunta adequada seria: Em que pista/traçado ainda não correu? :D

O que achou da pista?
Tal e qual como a água do mar... temperada! Esta versão de Leiria é muito técnica, com diversos pontos onde se consegue anular a desvantagem de um kart menos colaborador. Claro que para dar frutos, é preciso saber tirar o partido de tudo o que o kart possa dar.

Conseguiu fazer a curva 90R a fundo?
Qualquer pessoa consegue fazer a 90R a fundo! Mas tirar vantagem disso, só para poucos... karts!

Como reagiu à largada e à primeira volta?
À largada, reagi com habitualmente, muito rápido e consegui surpreender o Reinold, que estava ao meu lado direito e o Ismael que estava à minha frente, para me acomodar na 4º posição. A primeira volta foi de aferição para os 3 à minha frente e conclui que o perdido nas rectas era anulável em curva.

Como comenta a sua classificação no campeonato?
Esta é a resposta mais difícil de engolir. 6 pontos a separar a minha 3ª posição do vencedor Mário Alemão (mais uma vez, parabéns Mário) foi curto para quem teve o azar (alguidar de favas) em Fátima e falhou como habitualmente, uma prova (Batalha). Um ano em que, das 6 provas, venci 2 e obtive ainda 2 segundos lugares, o último lugar de Fátima, foi a gota de água...

Participou numa equipa? Como interpreta a classificação da sua equipa?
Esta é fácil... mais de 20 pontos de vantagem para a Acceleron Motorsport, indica que, parafraseando, "equipa que ganha, não se mexe"

Quais são os seus objectivos para 2016?
Bom, para já, a esta distância temporal, receber as prendas de Natal em 2016 já é um objectivo muito bom!

O que acha do trabalho de Jorge Jesus?
Acho que se limitasse mais a entrada de animais na "Arca"... hein... o quê?!!! Não foi ele... então quem é esse tal de Jesus?

Há outro tema de que lhe apeteça falar?
O meu último hobbye!!! A simulação virtual!!! Aconselho aos mais "carunchosos" e que vão para as corridas de karting, como eu, a queixarem-se das "ossadas", das eles 4, das eles 5 e de dores artríticas, irem a um dos muitos "autódromos virtuais" que nasceram ultimamente pelo país, para experimentarem. Decerto não vão dar o dinheiro por mal gasto, nem o tempo mal empregue! Para os que ficarem fâns, quando tiverem os vosso próprio simulador, pratiquem e divirtam-se.Para a experiência, aconselho vivamente a "esvaziarem" a cabeça de ideias pré-concebidas, que que é um "jogo" e tentarem transportarem-se, ainda que virtualmente e com as condicionantes inerentes, para dentro do "automóvel" que estão a conduzir.